22 de janeiro de 2010

Everybody's gotta learn sometime

O mundo hoje é palco pra todo tipo de besteira possível. Há gente que sequestra, rouba, mata... Erros imensuráveis, sem sombra de dúvidas. Há também gente que paga de tigresa em rede nacional, que bota V!D@ L0k@ no sobrenome do orkut ou que torce pro São Paulo. Coisas que, vamos e convenhamos, também não são lá o cúmulo do acerto.
Mas o que ferra tudo de vez, que faz o erro ficar lá, estampado, mais chamativo do que Cine e Restart tocando juntos (lembrete: tenho que parar de fazer brincadeirinhas com essas bandas, todas as minhas amigas adoram) é que a gente não sabe classificar os erros. Bota tudo no mesmo saco sem nem considerar as justificativas. "Você está ERRADO, pronto!". Pronto nada! Certo, eu odeio o São Paulo. Certo, se houvesse uma patrulha de moda no BBB10 a Jose seria presa e condenada à prisão perpétua. Mas a gente não pode achar que é tudo a mesma coisa. Estamos há pelo menos dois mil anos cutucando, selecionando, organizando e nomeando coisas. Por que erro tem que levar um nome só?

Não tô dizendo que você deve ignorar e esquecer tudo só porque ele estava bêbado ou porque ela estava "confusa". Acho que sempre vai ter alguém pra dizer que perdão é lindo, perdão é vida, perdão vai te levar pro céu... Não serei eu a que vai te dizer isso. Até porque... experimenta ser você a idiota vítima da história. É, sua visão pode mudar. Que todo mundo erra, a gente já sabe. A gente só não sabe consertar os erros e perdoar os errados. A grande merda do erro é essa, às vezes, por mais que você perdoe alguém, você continua a lembrar daquela vacilada que a pessoa deu. Muda toda uma imagem. Gritos não podem ser abaixados nem lágrimas podem ser devolvidas aos olhos. Uma traição. Um roubo. Um amor que se perdeu. Já foi, já passou. Não tem volta. Foi um erro. Mas foi também um aprendizado.
E se você não conseguir perdoar, a gente te dá um desconto. Não é fácil descobrir que quem fingia amar você acabou amando mais uma garrafa de whisky e uma morena que estava perto demais. Mas acho que esse é o espírito da coisa. Errar é como estar na escola pra sempre. É, escola. Aquele lugar onde você passa ao menos 200 dias por ano e que reza pra que acabe logo, mas quando acaba, você surta, porque percebe que a coisa só fica pior e mais complicada. Você conta os minutos pra que chegue o fim da aula só pra quando chegar em casa estudar mais ainda - e sem a companhia dos colegas de classe. Só que falhar não é uma tarefa solitária. Você nunca fica só. Há sempre milhares de dedos apontando pra você e fazendo você se sentir menor do que um grãozinho de areia. Mas você não quer ser um grãozinho. Você quer ser parte do monte de areia. Você quer se enterrar aí. Porque às vezes, você aprende. E às vezes, você só ferra tudo.

E não me venha com mais clichês; não adianta dizer que errar é humano se você está agindo como um animal. Nesse caso, nenhuma patrulha da moda ou mudança de time vai fazer com que você se perdoe. E se você gosta de estampa oncinha, me perdoe, mas não ligue: você pode estar em um reality show no próximo verão.

12 arranhões:

'RaiêMacêdo. disse...

amiga, mesmo sem você gostar, é sério eu ADOREI, não sei! me fez pensar diferente :D

como sempre parabéns e continua arrazando :*

@Larifreeitas *-* disse...

*o* q post perfeito! AHAZOU/
adoreei *-*
;*

Rui disse...

O perdão é uma qualidade dos fortes.
Errar é humano... rs

Patrulha da moda???? rsrss

Branca ;) disse...

amiiga, amei muito esse post. serio *-* parabéns, cê tá cada dia melhor!
;* (L)

Ellen Ventura disse...

Gostei muito do post Bia, tudo que você falou eu concordo e visto a camisa da patrulha contra a roupa de oncinha! AH, e sobre perdoar e esquecer, realmente é difícil esquecer. Mas o que eu mais queria mesmo era esquecer tudo que já passei e viver não como se amanhã fosse o último dia, mas como se ontem não tivesse existido.

gugapessoas disse...

Sou teu fã!
Parabéns

Giovanna disse...

Muitos agem com consciência do que estão fazendo, erram e os bobos vão lá e perdoam. Uma, duas, três vezes. Até que caem na real e percebem que algumas pessoas simplesmente não pensam em quem está ao seu lado.
ADOREI o que escreveu.

Giovanna disse...

Muitos agem com consciência do que estão fazendo, erram e os bobos vão lá e perdoam. Uma, duas, três vezes. Até que caem na real e percebem que algumas pessoas simplesmente não pensam em quem está ao seu lado.
ADOREI o que escreveu.

Helder Herik disse...

ahh vc é uma tigrezzzza veii
ok, estou brincando, calma...

E Machadão heinnnn kkkkkkk

que bom que leu o twitter das minhas plantinhas \o/

amo - te fofa

bjoo

Lucas Wagner disse...

O que é ser (de ser mesmo, ser de "eu sou") humano?

Post bom!
Bjão minha linda!

Laís Dourado disse...

Adorei o texto todo! E gostei dessa parte em especial: "E se você não conseguir perdoar, a gente te dá um desconto."
As pessoas tem mania de dizer, "ah, ele pediu desculpa, tem que perdoar". É tão chato, parece que se alguém se arrepende faz do meu perdão automatico quando é tãão mais complicado! (e se vc nao perdoa, quem saí de vítima é o outro!)

ps. Não nos torture com tanta demora pra postar! hehehe!

Graziely Marchese disse...

Guria adorei seu blog!
Além de escrever super bem você impõem a sua opinião sem nem ligar a minima pro que os outros vão pensar.
Parabéns pelo blog lindo
Beijokas =)